terça-feira, 17 de janeiro de 2012




LAGOA

Se o rio é de janeiro, me conta, o mar é de quem?
Eu só sei de uma coisa a lagoa é do meu bem
Lá dentro ela esconde suas lágrimas, a lua
 as estrelas, lá dentro ela se entrega nua.

Da lagoa do meu bem a gente vê o céu dançando,
Barquinho navegando e um casal de patos se
Amando também.

Mas se o rio é de janeiro, talvez o mar seja de
Fevereiro, das festas dos terreiros, dos embalos
Da mulata rodopiando bandeira, ô mestre sala.

Vou afogar minhas mágoas de quarta-feira de
Cinzas pela a madrugada e a se a dor que sinto
Não se lavar nesse meu pranto como por encanto
Vou mergulhar na água da lagoa no quebrantar do
Mar. Como por encanto vou me te transformar em
Estrela que antes rola dos seus olhos e no céu da lagoa
vai brilhar.

Paulo Valadares

Nenhum comentário:

Postar um comentário