segunda-feira, 30 de janeiro de 2012


Sou Tão Estúpido

Sou tão estúpido/ quanto sincero/ me degenero
Pensando em você/Madrugada adentro/ dentro da
Calma/ Você está do outro lado do mar/ Meu
Coração sente sua falta.

Numa vez te vi por Lisboa/E pensei que aquilo era
Um romance escrito para mim, por você / Eu te
Esperei e pensei em te amar com calma/Mas
você queria tudo com fúria/Quando o que senti
E sinto apenas era doce/
Ainda acredito que terei nos braços.

Dizem poetas céticos que o amor não regredi/
Concordo, mas nosso amor não aconteceu, além
Das palavras/Eu espero que os fantasmas mesmo
Vivos/Sejam exorcizados/ E eu cometa meu maior
Pecado nos seus braços.

Sou tão estúpido/ quanto sincero/ e te espero/ me
Regenero/me entrego com angústia de cada noite/ ser
a última/ espero que canse desse lado do oceano/
Volte para ser feliz.

Paulo Valadares


Nenhum comentário:

Postar um comentário