sexta-feira, 18 de março de 2011


ONTEM

Ontem me disseram que o amanhã seria nosso,
Mas ainda hoje me desespero por ver em cada manhã
Que nada é nosso, que nada é seu, que nada é meu, mas
Pertence a alguém.

Ontem fomos capazes de vencer duas grandes guerras, inventamos
Maneiras de viver pela terra, mas não aprendemos a combater
A solidão.

Ontem me disseram que o Brasil era o país do futuro e que a juventude
Seria o nosso dom decerto. Ontem via sujeitos publicando livros, falavam
De amor, De algo bonito, prometeram para o amanhã? Novos livros, não sei
Se pirei, mas hoje os mais vendidos são aqueles que lhe ensinam a comprar o amor,
A testar práticas fúteis dos Best Sellers de auto-ajuda.


Ontem eu vivia feliz, e o amanhã será esplendido, mas hoje eu sofro por que
Quero ficar com o corpo da menina da TV, quero o carro da moda, quero ter
O que ninguém tem. Quero me formar na faculdade de bancos imobiliários,
Quero dinheiro. Ontem me disseram que o amanhã teria as pessoas mais próximas,
Hoje vejo que isso é verdade, vejo que solidão é coisa de quem vive sorrindo com
As coisas do passado.

Paulo Valadares

Nenhum comentário:

Postar um comentário