domingo, 27 de fevereiro de 2011

"Era uma vez um poeta, que terrivelmente ficou apaixonado por uma bela estrela, mas ao passar do tempo ele descobriu que essa bela estrela tinha brilho dividido entre ele e um astro fantasma e pior vivo, o poeta alertara a estrela dizendo que em todas as noites a espreitava da terra, mesmo quando havia nuvens ele não perdia sua vigília. E um dia o inesperado aconteceu, ele teve a chance de tocar a estrela, mesmo sabendo que poderia cair lá de cima, mesmo sabendo que poderia se ferir gravemente e ele queria muito assim mesmo, mas percebeu que naquele momento se o fizesse poderia por em risco a luz da estrela e não o fez, por isso hoje anda triste, não arrependido, pois sabe que enquanto estiver vivo, a estrela brilhar ele ainda terá uma chance mesmo que o astro fantasma ainda que vivo não possa decepcioná-la um dia. Se isso não acontecer ao menos lhe sobrará o gosto de te-la provado nos meus sonhos."

Paulo Valadares

Nenhum comentário:

Postar um comentário