quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

CAMINHO

E no dia que eu estiver partido, eu quero
Que você pegue algo meu e que lhe faça lembrar
De mim. Me leve nas nossas colinas, mas
Se elas não mais existirem toque apenas os sons que a
Gente costumava escutar por ali.

É a vida que me encaminha para a morte, e por isso
Só por isso tenho dever de me sentir inocente, nunca fiz
Cálculos no presente, pois jamais por sinceridade esperei
Encontrar o futuro.

A minha condenação vem do vício de olhar para trás,
É como se pudesse mergulhar numa foto e reviver o passado.
Eu aprendi que é a vida que me encaminha para a morte aprendi
a não sofrer pelo caminho, aprendi que enquanto eu caminho eu
posso levar você até antes realmente de ter partido.

Paulo Valadares

Um comentário:

  1. Paulinho viver é uma arte, assim sendo devemos refletir sempre, sobre nossa passagem por este planeta!
    Aqui, sua poesia reflexão... CAMINHO está estupenda!
    Agradeço sua leitura, comentário no Recanto das Letras.

    ResponderExcluir