quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011



Apenas hoje...

Hoje eu aluguei um avião e rabisquei o céu de arco-íris,
Comprei um balão para avistar o paraíso, e vi lá de cima
Enfrente ao meu portão, a felicidade assobiava uma canção,
Eu dedilhei no violão os acordes do Tavito.

Realmente foi emoção, foi inesquecível não ter hora e nem
Por que e nada pra fazer. De um balão quando se vê a nuvem
Passar por você, parece que o tempo ficou tímido, envergonhado
De correr, parece que o mundo lá embaixo ficou lívido.

Benfazeja a esperança corria atrás da solidão a batalha se tornou
Dura, pois a solidão de longe parecia ter mais fôlego, ainda mais
De uns tempos para cá que sairmos da escravidão para cairmos na
Ilusão de que a tecnologia nos daria mais tempo e cada dia é mais
Contundente que o tempo que perdemos entre um amigo e outro era
O mais importante.

Paulo Valadares


Nenhum comentário:

Postar um comentário