sábado, 3 de setembro de 2011





Sentindo Cheiro de Primavera

Pensei que havia me esquecido dela, pensei que tivesse
Feito como o vento de outono que derruba as folhas, como
Eu derrubei os pensamentos maus a respeito daquela mulher.

Mas, que maldade ela me fizera? A maldade de amar quando
Eu me negava ser amado? Ela é como vento de primavera, vem
Brisa, logo vira fera, que trás cheiro de chuva, que trás o corpo
Molhado, cabelo solto, um jeito gostoso de mulher que não se
Escraviza, mas que têm vários escravos. Eu sou cativo em seu corpo.

Não poderia ter naveagado por estes mares da vida sem ter tampado
Os ouvidos a teu canto sereia, agora é tarde, já estou sob encanto, suplicando
Seu beijo para que não me afogue nesse mar poluído de solidão.

Embora esteja hoje com o coração partido sem saber ao certo se me ama
De verdade, aprendi que o sobrenome da felicidade é juventude, mesmo que
Tivesse 90 anos de idade, saberia eternamente que naquela primeira frase que me
Disseste que o amor não é compensação, o amor é emergia, eu não poderia ter
Lutado, deveria e não resistiria a você para sempre.

Paulo Valadares 

Nenhum comentário:

Postar um comentário